Meditação: Expectativa vs Realidade




Talvez em algum momento da tua vida, tu já tenha te questionado: mas será que meditar é para mim? Eu quero te mostrar que sim, mas antes de nós iniciarmos, eu quero que tu saiba que existe uma expectativa. Existe um conceito idealizado, criado em relação a meditação.

E existe a realidade. Existe o que realmente acontece ali na prática, no momento da minha meditação.

E essa expectativa e realidade precisam estar alinhadas para que não existam frustrações e tu não desista no meio do caminho.


Você também não tem tempo para meditar?


Muitas pessoas chegam até mim me dizendo que não vão ter tempo para meditar, que não vão conseguir ter o tempo suficiente para obter todos os benefícios da meditação. E eu te faço a seguinte pergunta: Tu não tem 10 min no teu dia para gerar mais concentração, foco, diminuir a tua ansiedade, melhorar a qualidade do teu sono, ter mais equilíbrio e inteligência emocional?

Para obter todos esses benefícios da meditação e tantos outros, tu precisa de apenas 10 min por dia.

Já existem estudos científicos que comprovam que 10 min por dia é o suficiente para que nós possamos desfrutar de todos os benefícios da meditação na nossa vida.



Apenas 10 minutos por dia


E se a gente parar pra pensar, quanto tempo a gente gasta nas redes sociais? Quanto tempo a gente gasta perdido em meio as nossas viagens mentais? Se a gente se organizar no nosso dia, se a gente analisar a nossa rotina, eu tenho certeza que nenhum de nós não vai encontrar esses 10 min para transformar a vida.

E eu te digo, como experiência pessoal, e também observando a vida dos meus alunos, que vale a pena. Vale a pena tu te dedicar a organizar a tua rotina e... reservar 10 min pra fazer a tua prática de meditação. São só 10 min, eu não tô falando aqui de 40 min, de 1hora, de 2 horas. Eu tô falando de 10 min. 10 min passa muito rápido. Quanto tempo a gente passando ali no feed do Instagram olhando os stories. Tira 10 min disso e coloca na prática da meditação. Porque com certeza, os benefícios que tu vai ter, vão ser muito grandes.



Meditação e religiosidade


Muitas pessoas também chegam para mim com o seguinte questionamento: Gabi, será que a meditação, ela vai contra a minha religião. Será que eu posso meditar tendo a minha religião? Eu te digo que sim, porque a meditação, pelo menos a meditação que tu vai fazer comigo não tem nenhum viés religioso.

Existem sim práticas de meditação dentro de algumas religiões, como o budismo, por exemplo. O budismo é uma religião, e o budismo utiliza a prática da meditação, mas a meditação que eu faço, ela não tem nenhum vínculo religioso.

Então ela não vai ir contra os teus dogmas religiosos, ela não vai ir contra a tua prática religiosa.

Eu acredito que ela vai potencializar ainda mais as práticas da tua religião. Porque cada religião tem as suas práticas, tem a sua maneira de vivenciar aquela religião no seu dia a dia. E eu acredito que a meditação vai te ajudar, porque tu vai sentir ainda mais o teu ser, tu vai despertar a tua sensibilidade, tu vai estar mais atento, mais consciente pra observar os teus atos e pra praticar a tua religião.

E se eu não conseguir me concentrar?


Muitas pessoas também chegam até mim dizendo que não vão conseguir se concentrar. Que são muito agitadas, que não conseguem ficar paradas e que sentem que vão ter essa dificuldade de concentração. E eu te digo que justamente por esse motivo que se deve meditar. Porque a meditação ela nos ajuda a desenvolver a concentração. Ela nos ajuda a desenvolver o foco.

No início realmente não é fácil, não é simples, não é algo que tu vai chegar ali parar e na primeira prática da meditação tu vai te achar a pessoa mais concentrada do mundo, mas durante a prática da meditação a gente sempre vai estar nesse exercício de desenvolver a concentração. Então se tu acredita que tu é uma pessoa muito agitada e que tu não vai conseguir parar naquele momento da meditação, eu te digo: Dá uma chance, te permite experimentar a meditação e tu vai ver que não é tão difícil, tu vai ver que tu vai conseguir. Por que? Durante a meditação a gente desenvolve o que a gente chama de auto regulação da atenção. Então nós sempre temos um objeto durante a nossa prática, que vai ser a respiração, ou vai ser um mantra, ou vai ser uma visualização. A gente sempre tem algo no qual a gente vai se fixar durante aquela prática.

E o que acontece durante a meditação? Eu inicio a minha prática focado naquele meu objeto. A minha mente se dispersa, eu me dou conta que minha mente se dispersa, e eu retorno a minha atenção pro meu objeto.. A minha mente se dispersa, eu me dou conta que minha mente se dispersa, retorno a minha atenção pro meu objeto. E isso vai acontecer sempre durante a meditação.

A gente até poderia dizer que esse é um processo natural da prática da meditação. Temos o objeto, a mente se dispersa e a gente se dá conta que a mente se dispersa e retornamos a atenção pro nosso objeto. E toda vez que isso acontece, a gente tá fortalecendo essa nossa capacidade de se concentrar.


E ao longo da prática o que acontece? A gente se dispersa cada vez menos. Mais rápido a gente se dá conta que a gente se dispersou. Então com a prática, eu praticando a meditação regularmente, eu vou conseguir desenvolver essa auto regulação da atenção, para me manter mais focado, me manter mais concentrado no meu objeto da prática. E naturalmente eu vou perceber esta habilidade adquirida durante a prática da meditação no meu dia a dia. Então naturalmente eu vou me tornar uma pessoa mais concentrada, vou me tornar uma pessoa mais focada 00:07:39

Então se eu preciso de mais foco, seu preciso de mais concentração no meu dia a dia, no meu trabalho, com certeza a meditação vai te ajudar. Então durante a prática da meditação naturalmente a gente tá sempre desenvolvendo essa auto regulação da atenção, que vai nos dar mais concentração, vai nos dar mais foco. Vai permitir a nossa mente desenvolva essa habilidade, para que no nosso dia a gente se sinta mais concentrado, a gente consiga manter o foco naquilo que a gente deseja. Porque a nossa mente se dispersa muito e se eu tô muito agitado, se eu tô muito ansioso, se eu tô vivendo um momento difícil da minha vida, isso se torna ainda mais desafiador. Eu sinto que manter a minha concentração, manter o meu foco naquilo que eu desejo é um desafio para mim.

Então eu te digo que a meditação com certeza vai te ajudar. E se tu tem medo de que tu não vai conseguir te concentrar durante a meditação, que a tua mente é muito agitada. Eu te digo, confia, experimenta, faz a meditação porque ela vai te ajudar a desenvolver essa habilidade, ela vai te tornar uma pessoa mais concentrada, ela vai te tornar uma pessoa mais focada. Então não é... nessa ordem. Eu sou pessoa focada, concentrada, então eu medito. Não! A meditação vai te tornar essa pessoa mais focada e mais concentrada.

E naturalmente isso vai te ajudar a aprofundar cada vez na tua prática da meditação e no teu dia a dia tu vai colher os frutos disso, tu vai colher os benefícios dessa habilidade que a meditação vai te ajudar a desenvolver.



Meditação é pensar em nada?


Uma outra questão, que é muito importante nós termos bem claro e quebrar esse conceito idealizado de que meditar é não pensar em nada.

É difícil a gente não pensar em nada, porque o pensar faz parte da natureza do ser humano. Então tira essa ideia da tua cabeça de que meditar é não pensar em nada, porque durante a meditação tu vai pensar, os pensamentos vão vir. Agora, qual é o nosso objetivo então durante a meditação se não é não pensar em nada? A gente vai aprender a diminuir o ritmo dos nossos pensamentos, e nós iremos aprender a direcionar os nossos pensamentos, porque essa sensação de confusão mental que muitas vezes nós sentimos. Essa sensação de que a nossa mente vai nos enlouquecer de tanto que pensa é justamente porque nós não temos essa habilidade de direcionar os pensamentos para aquilo que nós desejamos.


Isso também tá vinculado com aquela falta de foco e concentração que muitas vezes existe. Então eu me sento, inicio uma leitura, e daqui a minha mente tá viajando, a minha mente tá pensando em um milhão de coisas e daqui a pouco.. opa, peraí, eu tava lendo. Então existe essa dificuldade de não pensar, existe essa dificuldade de se concentrar e existe essa dificuldade de direcionar o pensamento.

Então com a meditação, o que a gente vai desenvolver? A gente vai desenvolver essa habilidade de diminuir o fluxo dos pensamentos.

Então a gente não vai pensar tanto em tantas coisas, e a gente vai aprender a direcionar os pensamentos, porque nós temos essa capacidade de escolher qual é o pensamento que nós queremos que esteja presente no nosso plano mental. Nós temos essa possiblidade de escolher quais são as emoções que nós queremos sentir em determinado momento, mas normalmente o que que acontece?

Eu não consigo ter este controle mental, eu não consigo ter este controle emocional. Uma emoção vem, toma conta de mim e me carrega pra onde ela quer. Um pensamento vem e me faz viajar por onde ele quiser. Então o que que eu preciso? Eu preciso desenvolver essa habilidade de direcionar e escolher os meus pensamentos, para que eu não seja mais escravo, não seja refém da minha mente.

Então durante a meditação a gente não vai buscar este estado de não pensar em nada. Ele existe? Existe. Mas ele existe por um período muito curto de tempo para eu colocar ele como o meu objetivo durante a minha meditação.

Vamos supor que hoje eu faça uma meditação que dura 12 min. Durante estes 12 min de meditação eu vou experimentar este estado de não pensar durante 5 seg. Se eu for fazer um comparativo entre 12 min e 5 seg, e colocar como o meu objetivo algo que eu alcancei durante só 5 segundos durante todos os 12 min, é muito provável que eu vá me sentir frustrado, eu vá sentir que eu não consegui alcançar o meu objetivo. É por isso que a gente não estabelece como um objetivo da meditação, o não pensar em nada, porque o não pensar em nada, ele existe durante muito pouco tempo durante toda a minha prática da meditação. Então é melhor a gente esquecer isso, esquecer essa ideia, porque faz parte da nossa natureza, o pensar.

Então durante a meditação a gente vai buscar esse direcionamento do nosso pensamento e diminuir o ritmo dos nossos pensamentos.

E isso é algo que acontece naturalmente durante a meditação porque nesse processo meditativo, eu estimulo determinadas regiões do meu cérebro que me conectam a outras frequências.. e eu saio daquele estado de agitação mental e começo a migrar para um estado de paz e de tranquilidade mental. E além disso eu consigo direcionar o meu pensamento.

Por quê? Porque eu alimento, eu desperto durante a minha prática da meditação o que a física quântica chama de observador.

E no momento que eu desperto este observador, é como se eu desse um passo para trás dentro de mim mesmo e conseguisse enxergar, o que se passa no meu plano emocional, o que se passa no meu plano mental, quais são as minhas atitudes naquele momento.

E quando eu consigo enxergar isso com clareza. Eu começo a criar a possibilidade da escolha. Eu quero pensar sobre isso? sim ou não? Eu quero sentir isso? Sim ou não? Eu quero realmente fazer isso? Sim ou não. Porque normalmente a gente vive no piloto automático, então a gente se desconecta dessa possibilidade de escolher o pensamento, a emoção e a atitude.

A gente vai simplesmente pensando, sentindo e fazendo. Sem se questionar, sem ter essa conexão real com que se está pensando, com que se está sentindo, e com o que está fazendo.

É tudo simplesmente um reflexo do meu piloto automático, é o reflexo dos meus condicionamentos que estão programados no meu inconsciente. Então a meditação me permite despertar este observador interno, que nada mais é que um estado de atenção plena, é um estado de consciência em que eu me enxergo no momento presente e eu enxergo quais são pensamentos, quais são as emoções, quais são as atitudes que estão acontecendo naquele momento.

E eu gosto de utilizar algumas analogias. Então, é como se a gente estivesse em um trapiche, e ali na nossa frente estivessem passando vários barcos, e aqueles barcos representam os nossos pensamentos, as nossas emoções e as nossas atitudes.

Então eu estou ali naquele trapiche desde esta perspectiva do observador, observando os barcos que estão ali passando.

Então passa o barco da alegria, passa o barco da ansiedade, o barco do ligar para o fulano e responder de tal maneira.

Passa o barco da felicidade, passo o barco da insegurança, passa o barco do porquê que eu fui me meter nessa história, agora não sei o que fazer. E se eu tô no piloto automático, eu saio do trapiche, e me coloco ali naqueles barcos e fico pulando de um barco pro outro enlouquecidamente, sem nem me dar conta que eu tô migrando, que eu tô pulando de um barco pro outro, que eu tô migrando de um pensamento pro outro, de uma atitude pra outra, de uma emoção pra outra. Sem ter o controle, sem ter o domínio sobre tudo isso. Eu simplesmente estou sendo levado, estou sendo levado pelo meu piloto automático e pelas circunstancias da minha vida pulando de um barco pro outro enlouquecidamente.


Agora no momento em que eu me torno mais consciente, o que que acontece? Eu enxergo aquele barco e eu escolho se eu quero estar naquele barco ou não. Então se eu tô ansioso, e eu me dou conta de que eu to ansioso, eu crio naquele momento a possiblidade de mudar algo no meu dia, ou de ter alguma atitude para que eu não mais esteja ansioso. Então eu vou dar uma parada, vou meditar, vou esperar um pouquinho e vou diminuir a minha ansiedade.

Ou se eu estou muito triste, eu percebo aquela tristeza e escolho não estar triste. Eu tenho uma atitude para que aquele estado emocional se transforme no meu mundo interno.


Então meditar, não é não pensar em nada. Nós vamos ter vários pensamentos, estes barcos vão estar sempre passando. Mas eu vou escolher em que barcos eu quero estar.


Uma outra analogia que a gente pode utilizar nesse caso, é o do macaco. Os indianos dizem né, que a nossa mente é como se fosse um macaco. E quando a gente começa a meditar, o que acontece com esse macaco?

Esse macaco, ele nunca foi educado, ele tá acostumado a pular durante todo o dia pra onde ele quiser, do jeito que ele quiser, então é aquela criança mimada, que faz o que quer, na hora que quer, ninguém manda, ninguém desmanda, ninguém falada nada. Ele só faz o que ele quer. E assim normalmente funciona a nossa mente, ela vai pra onde ela quer, ela nos leva pra onde ela quer.

Sem nos dar um aviso prévio, enfim, faz a maior confusão aqui no nosso plano mental.

Quando eu começo a meditar, o que acontece?

Eu começo a educar, a domar este macaco. Então eu começo a minha meditação ali, o meu macaquinho ta sentadinho ali na minha frente, e eu começo a meditar e daqui a pouco a minha mente, puf..pensa em alguma coisa. E eu, opa, peraí.. puxa o rabo do macaco, traz o macaco de volta pro momento presente, deixa esse macaco aqui quietinho, tranquilo, sem pensar em nada. Daqui a pouco, o macaco pula de novo, e eu puxo o rabo do macaco, o macaco pula e eu puxo o rabo do macaco, o macaco pula e eu puxo o rabo do macaco, o macaco pula e eu puxo o rabo do macaco. E isso é o que vai acontecer durante a minha meditação. O macaco pula e eu puxo o rabo do macaco, a minha mente se dispersa e eu puxo a minha atenção para o momento presente, a minha mente se dispersa e eu puxo a minha atenção, a minha mente se dispersa e eu puxo a minha atenção para o momento presente. O que vai acontecer ao longo do tempo?

Isso tem a ver também com aquela questão da auto regulação da atenção. E esse macaco, ele vai ficando cada vez mais educado, ele vai começar a obedecer os meus comandos, ele vai começar a entender o que pode ser feito, o que que não pode ser feito. Quando ele pode ficar mais agitado, quando eu preciso que ele fique mais quietinho, ele também vai aprender a ficar mais quietinho. Enfim, esse macaco vai se tornando um macaco educado. A minha mente vai se tornando uma mente mais educada, uma mente direcionada, mas uma coisa que é muito importante: 00:20:55


O macaco nunca vai parar de pular, e a nossa mente nunca vai deixar de pensar. Então tira essa ideia que meditar é não pensar em nada, porque isso vai gerar só frustração, tu te coloca numa expectativa, tu coloca tua meditação num nível que não existe, tu vai criar uma expectativa que nunca vai ser alcançada. Então existe a realidade, que é o quê?


A natureza do macaco é pular, a natureza da nossa mente é pensar, então os pensamentos, eles vão estar sempre ali presentes, nós vamos aprender a diminuir o ritmo desses pensamentos, vamos aprender a direcionar os nossos pensamentos para aquilo que nós desejamos.

E falando sobre essa questão né, de que a meditar é não é não pensar em nada, que a gente precisa se desligar dessa ideia. Uma outra coisa que eu sinto que gera muita frustração em muitas pessoas e muitas pessoas nem começam a meditar por causa disso, outras começam e desistem. É que a gente cria essa ideia, a gente cria essa grande expectativa querendo que a nossa meditação seja uma meditação perfeita.

Então eu me sento ali para fazer a minha meditação, e eu só espero paz, tranquilidade, só coisas boas para aquele momento, nada vai me tirar do sério, nada vai me desconectar dessas sensações maravilhosas que eu vou sentir naquele momento.

OK, mas a gente sabe que nem sempre vai ser assim. Até mesmo porque a meditação ela não é um processo linear. O que eu quero dizer com isso?

Eu quero dizer que hoje eu meditei e a minha meditação foi maravilhosa.

E o que eu vou esperar daqui pra frente?

Que amanhã minha meditação vai ser maravilhosa. Mais uma estrelinha.

Depois de amanhã maravilhosa, mais duas estrelinhas e assim eu vou numa crescente. A minha meditação vai ficando cada vez mais maravilhosa, cada vez melhor...Eu tenho uma aviso pra te dar, se tu tiver pensando que vai ser assim.

Por quê? Porque nós somos seres impermanentes, a vida é impermanente. Nós não temos o controle sobre as circunstâncias, sobre as pessoas com as quais a gente se relaciona. A gente tem um campo emocional que se movimenta durante todo o nosso dia interagindo com as situações, interagindo com as pessoas. Gerando uma série de emoções ao longo do dia.

Nós temos um plano mental que está sempre em atividade. A gente tem em média 60 a 70 mil pensamentos por dia, então é muita coisa acontecendo aqui no nosso mundo interno pra que gente espere que as coisas vão acontecer exatamente da maneira como a gente quer. Então a meditação não é um processo linear, por quê?

Porque a meditação é algo muito subjetivo, nós somos muito subjetivos, nós somos impermanentes, a vida é impermanente.

A gente tá em processo de constante mudança, de constante evolução. E esse processo de evolução, ele não acontece da maneira que a gente idealiza, um processo perfeito em que a gente idealiza, um processo perfeito em que uma pecinha se encaixa na outra, exatamente da maneira como a gente imaginava.

E que a nossa meditação é uma crescente dia após dia, cada vez mais maravilhosa.

A nossa meditação ela respeita os ciclos internos. Então o que eu quero dizer com isso?

Eu quero dizer que a gente não pode criar essa ideia que a nossa meditação, ela é perfeita, de que a nossa meditação vai ser sempre maravilhosa, porque vão existir alguns dias que ela vai ser mais desafiadora.

Dias que eu vou estar mais estressado, dias que eu estou mais ansioso, a minha mente, ela não vai obedecer tanto aos meus comandos. Eu vou sentir mais dificuldade em me concentrar, em alguns dias, e tá bem. Tá tudo bem.

Faz parte do processo.

Então eu não posso me frustrar com isso, eu não posso brigar com isso, porque isso acontece. E eu tenho que aceitar que isso acontece, porque a meditação ela não é esse processo linear, cada dia é de um jeito e, e eu tenho que estar bem com isso. Porque senão, a meditação vai se tornar mais um motivo de estresse, eu vou terminar minha meditação e vou dizer..poxa, mas hoje não foi tudo aquilo que eu imaginava. Alguns dia vai ser e outros e alguns dias vai se superar tua expectativa, e a meditação vai ser assim, uma coisa que tu ne imaginava ser possível sentir. Tu vai conseguir sentir no momento da meditação, mas também em outros dias não vai ser toda essa maravilha.

Alguns dias vai ser aquela briga interna, a mente vai, tu traz ela de volta. A mente vai, tu traz ela de volta. E outros dias tu vai simplesmente fechar os teus olhos e a tua mente vai ficar mais quieta, mais tranquila, tu vai conseguir te concentrar, alcançar esses estados de paz e quietude interna que a gente tanto busca durante a meditação.

Então te lembra que a meditação não é esse processo linear, que não existe a meditação perfeita. Que não existe o certo ou o errado, porque cada um de nós é único e não existe uma formula mágica. Eu gostaria né, de poder aqui te apresentar uma formula mágica, uma coisa que funcionasse assim, 100% para todo mundo, mas isso não existe.

Existe é esta jornada que nós vamos construir com a regularidade da nossa prática. E se tu mantém a regularidade da prática, eu te digo que sim, que tu vai alcançar todos os benefícios da meditação, eu te digo que sim, tu vai transformar a tua vida

Eu te digo que sim, tu vai ter dias maravilhosos durante a meditação. Tu vai ter experiências que talvez tu nunca nem imaginasse que pudessem ser reais, que pudessem ser experimentadas.


E eu te falo, porque eu vivo isso e porque eu recebo relatos dos meus alunos todos os dias dizendo, Gabi, que maravilha que foi essa meditação de hoje. Eu nunca imaginei que algum dia eu fosse me sentir dessa maneira. Eu tô conseguindo superar x, y, z, porque são tantas questões, são tantas histórias que eu ouço todos dias que não daria nem para compartilhar tudo, mas o que eu posso te dizer é que durante a meditação a gente experimenta estes estados, de mais quietude, de mais tranquilidade.

Eu tenho vários alunos que me dizem.. Gabi, eu nunca imaginei que eu fosse superar minha ansiedade. Eu sempre fui uma pessoa tão ansiosa e hoje eu me vejo tão calma, tão tranquila, que as vezes eu nem me reconheço. Então eu te digo que a meditação vai transformar sim a tua vida.

Eu te digo que sim, tu vai ter os benefícios da meditação, mas não espera por uma prática perfeita. Não espera por essa escala de evolução linear, porque isso não existe.

Certo x errado na hora de meditar


Nós somos impermanentes, a vida é impermanente. E a gente precisa aprender a lidar com isso. Porque dentro da meditação não existe certo ou errado. Será q eu tô fazendo certo? Será q eu tô fazendo errado?

Tu tem que fazer do jeito que tu te sinta bem fazendo aquela prática. E durante as meditações que eu guio, que eu oriento, eu sempre deixo um espaço para que isso aconteça, pra que tu descubra, dentro de ti mesmo aquilo que te faz bem, aquilo que funciona pra ti. E aqui a gente pode falar de uma questão que é:



Qual a melhor postura da meditação?


Porque a agente vê as pessoas sentadas, na posição de lótus, aquela posição linda, maravilhosa, com a coluna ereta, sem apoiar as costas, com as pernas cruzadas. Mas daí tu vai fazer a tua meditação e começa a doer as costas. Ai tá me doendo o joelho, ai minha perna tá dormente. Então tu tem que encontrar naquela posição da meditação o que eu vai funcionar pra ti, e talvez ficar sem o apoio das costas não funcione pra ti, porque te doem as costas. Talvez ficar com as pernas cruzadas não seja o melhor pra ti, porque tu não tá acostumado e a perna fica dormente e o joelho dói. Então tu tem que encontrar na tua postura, assim como na tua prática, aquilo que te faz bem. Tu tem que encontrar o teu jeito, e sair dessa questão do certo ou do errado.


A meditação vai dar certo e o princípio para que isso aconteça é que tu mantenha a regularidade na tua prática. Que todos os dias tu te dedique um pouco. Que todos os dias que tu dedique aqueles 10 minutinhos pra transformar a tua vida, pra te tornar uma pessoa menos ansiosa, pra melhorar a qualidade do teu sono, pra ter mais inteligência emocional, pra conseguir lidar com as tuas dores, o teu sofrimento interno, pra conseguir lidar e superar a tua depressão, a tua tristeza. Conseguir deixar pra trás momentos que foram traumáticos na tua vida, porque tudo isso a meditação vai te trazer, mas tu precisa da regularidade da prática.


E aqui tá uma outra dúvida que muitas pessoas tem em relação a meditação.

Tá Gabi, em quanto tempo eu vou conseguir resolver a minha vida? Em quanto tempo a meditação vai transformar a minha vida?

Nós temos dois tipos de efeitos durante a prática da meditação, nós temos efeitos de estado e os efeitos de traço. Então eu te digo o seguinte: Que a meditação ela tem efeitos de curto, de médio e de longo prazo.

Os efeitos de curto prazo são o que? São aquelas sensações que a gente experimenta durante a meditação. Eu nunca tive nenhum aluno que no final da meditação me diz: Bah Gabi to me sentindo tri mal, bah tô ansioso, tô agitado, tô pior do que quando eu iniciei.


Eu compartilho a meditação há 16 anos com outras pessoas, então já guiei milhares de pessoas em diferentes práticas de meditação e nunca tive um

comentário como esse.


Então isso me comprova que esse fato de que eu nunca tive um comentário como esse, me comprova o que eu vou te falar agora.

Que durante a meditação a gente experimenta o que nós chamamos de efeitos de estado. Durante a prática de meditação a gente se conecta a estados, de quietude, de paz, de tranquilidade, de relaxamento, de alegria, de bem-estar, e estes estados, eles tem esse poder de nos fazer nos sentir bem durante a meditação, mas esses efeitos de estado, eles tem um prazo de validade, então se eu medito por durante 10 min, eu vou ter um efeito de estado por mais “x” horas. Isso depende do que que tu vai fazer depois da meditação. Se depois da meditação tu vai fazer uma leitura, vai ficar mais tranquilo em casa, vai sair para um passeio, vai para um parque. Esse efeito vai perdurar por mais tempo,

Mas se tu sai da meditação e vai logo para uma reunião estressante, ou já briga com alguém, ou já sai de casa e bate de carro. Esse efeito vai durar menos tempo. Então esse efeito de estado, ele tem um prazo de validade, ele não é algo que perdura durante muito tempo.

Tu vai te sentir bem durante a meditação e por um tempo depois, mas depois esse efeito vai embora.

E nós temos o efeito de traço, que é o quê? São os efeitos que a meditação nos traz quando nós mantemos a regularidade da nossa prática. Que são as mudanças nos nossos traços de comportamento.

Então a gente poderia dizer que os efeitos de estados, são os efeitos de curto prazo. E os efeitos de traço são os efeitos de médio e longo prazo.

Então, os efeitos de estado, curto prazo.

Efeitos de traço, médio e longo prazo.

Estes efeitos de traço, eles são experimentados quando eu mantenho a regularidade da minha prática, então se eu medito todos os dias, eu vou começar a sentir os efeitos de traço, que são mudanças nos meus traços de comportamento, por quê? Porque durante a meditação eu to estimulando diferentes regiões do meu cérebro, eu estou criando novas redes neurais. Eu estou criando uma química diferenciada no meu corpo, porque durante a meditação esse estímulo a diferentes regiões do meu cérebro, cria uma neuroquímica diferenciada, e isso vai fazer com que os meus traços de comportamento se transformem. Então, eu consigo lidar melhor com determinadas situações. Eu me torno uma pessoa mais paciente, eu me torno uma pessoa mais calma, eu me torno uma pessoa menos explosiva, menos impulsiva, por quê?

Porque eu vou transformando os meus trações de comportamento através de alterações que acontecem nas minhas redes neurais e na neuroquímica do meu cérebro.


Então, qual a minha dica aqui?

Que tu mantenha a regularidade na tua prática, porque senão tu vai experimentar os efeitos de curto prazo. Eles são bons, são maravilhosos, só que que se tu tiver sempre voltando para estaca zero, eu me sinto bem, daí eu fico uma semana sem meditar, daí eu preciso meditar de novo, me sinto bem, fico uma semana sem meditar e não sinto aquele avanço. E por isso que muitas pessoas começam a meditar e muitas vezes desistem porque não conseguem manter a regularidade e não sentem esses benefícios verdadeiros da meditação. Por quê? Porque esses benefícios eles são obtidos quando nós temos, quando nós conseguimos gerar estes efeitos de traço, que são essas mudanças no nosso comportamento, mudanças nas nossas redes neurais, mudanças verdadeiras, mudanças profundas. E isso que a gente tem q buscar, esse deve ser o nosso objetivo com a meditação. Alcançar estes efeitos de traço, e isso nós conseguimos com a regularidade da prática.

Então, a meditação é para todos? Sim. A meditação é para todos.

E ao longo dessa aula eu te dei várias dicas, eu te apontei várias questões que são importantes que tu tenha em mente quando tu começar a meditar e quando tu conseguir já inserir a meditação como um hábito na tua vida para que a expectativa e a realidade estejam sempre alinhadas e não existam frustrações e tu não desista no meio do caminho.

Porque isso é uma coisa né, que eu sempre falo. Nessa jornada do autoconhecimento, nessa jornada de evolução ao qual a meditação nos conduz, frequentemente a gente vai se deparar com as seguintes encruzilhada:

Ou eu persisto ou eu desisto. E eu te digo para persistir porque realmente vale a pena e manter a regularidade na prática, é manter a persistência, é manter a disciplina, é conseguir alcançar os benefícios mais profundos e mais verdadeiros da meditação. Que é mudar quem nós somos, porque se tu é uma pessoa impaciente, se tu é uma pessoa ansiosa, eu te digo, que tu pode manter a esperança de mudar. Porque tem muitas pessoas que dizem, ah não..isso aqui é lá pra próxima encarnação, eu já nem acho mais que eu vou mudar, tá bem assim. Sempre fui assim.... Não te acomoda. Tu pode viver muito melhor. A vida pode ser muito melhor, mas pra que isso aconteça precisa existir essa dedicação, essa disciplina. De 10 min por dia, tá. Lembrando, porque quando a gente começa a falar né sobre isso parece superdifícil, então preciso me super dedicar. Gente, são 10 minutinhos por dia.

Se tu te dedicar 10 minutinhos por dia, tu vai ter todos os benefícios da meditação e tu vai realmente transformar a tua vida, e transformara tua vida de uma maneira profunda, porque são efeitos, são mudanças que permanecem.

A gente não tá falando aqui de uma coisa que vai se perder ao longo do tempo. São direitos adquiridos digamos assim. Então quando tu consegue manter a regularidade na tua prática, meditando todos os dias, 10 minutinhos. Eu não tô falando aqui de muito tempo, eu não tô falando aqui que tu vai precisar uma hora, duas horas por dia, tu vai precisar de 10 minutinhos.

Todos nós temos 10 min, são só 10 min, é muito pouco tempo. Se a gente for comparar todas as mudanças, com todos os benefícios que a gente vai conseguir obter, que a gente vai despertar, que a gente vai desenvolver para a nossa vida. 00:39:33

Então o meu convite é que tu comece a meditar, se tu ainda não meditou. E que tu te mantenha persistente nas tuas práticas de meditação. Pra que estes efeitos de traço, eles permaneçam vivos no teu cérebro, no teu mundo interno, e que assim a tua vida se transforme. E que tu consiga desenvolver, e que tu consiga obter tudo aquilo que tu deseja e todos aqueles resultados que tu deseja na tua vida.

Muito obrigada por estar aqui comigo, gratidão por tu ter me acompanhado. E Namastê!

0 visualização

Meditações para transformar a sua vida. Nada mais.

Você sabe que quer mais equilíbrio para a sua vida, mas não sabe qual é o melhor caminho? Tudo bem. Eu estou dedicada a trazer as melhores meditações para você. Sou uma pessoa compartilhando sua experiência com outras pessoas, por isso você terá acesso a práticas e orientações que consegue colocar em prática. Sou apaixonada pela meditação e quero fazer você se apaixonar também.

Inscreva-se:

  • White Instagram Icon
  • White YouTube Icon
  • Branca Ícone SoundCloud
  • Branca Ícone Spotify
  • White Facebook Icon

© 2019 por Meditar com vc

Meditar.com.vc - Almeida & Frantz Ltda

CNPJ: 14.123.114/0001-33

Avenida Dom Joaquim 1515, sala 513 - Pelotas / RS

contato@meditar.com.vc